Contan Assessoria Contábil e Empresarial


Inflação têm maior impacto em famílias de baixa renda e provoca alta de 21,3% na busca por crédito

  • 22/10/2021



     

    Inflação têm maior impacto em famílias de baixa renda e provoca alta de 21,3% na busca por crédito

    Com a inflação alcançando quase o dobro no primeiro ano de governo do Ministro da Economia Paulo Guedes, que neste ano registrou a alta acumulada em setembro de 6.90%, contra 4,31% em 2019, não é difícil entender porque tantos brasileiros estão buscando ajudas financeiras.

    A busca de consumidores por crédito aumentou 14,2% em setembro no comparativo com igual período do ano passado, aponta indicador da empresa de consultoria Serasa Experian. 

    Na análise por faixa de renda, os que recebem menos, até R$ 500, foram os que mais buscaram recursos financeiros, com alta de 21,3%. Entre os que ganham entre R$ 500 e R$ 1 mil, o aumento da procura ficou em 14,9%.

    Entre os que têm maior poder aquisitivo, com renda superior a R$ 10 mil, a variação anual do indicador ficou em 11,6%. O índice é similar ao encontrado nas faixas de renda anteriores: 12,3% de alta entre os que ganham de R$ 1 mil a R$ 2 mil; 11,9% entre os que têm renda de R$ 2 mil a R$ 5 mil e alta de 11,4% para a faixa de R$ 5 mil a R$ 10 mil.

    Em nota, o economista da Serasa Experian Luiz Rabi diz que a alta da inflação explica a maior busca por crédito, especialmente na população de menor renda. De acordo com Rabi, muitas vezes, o consumidor não consegue manter os recursos fixos mensais  e procura complementar a renda por meio do crédito.

    Na análise por região, o Nordeste teve o aumento mais expressivo, com 21,8%. O Norte também foi um dos principais responsáveis pela alta no indicador, com 21,2%. 

    Embora com percentuais menores, as demais regiões também registraram aumento na demanda por crédito: Centro-Oeste, 15,3%; Sudeste, 11,8%; e Sul, 9,7%.

    Fonte: Agência Brasil


Fique por dentro das notícias on-line

Veja todas as notícias on-line
Subir ao topo